Maldade Divina

17 de jun de 2009

Absurdo de Mim




Absurdo de mim.

Que absurdo de mim.
Exilar-me de ti.
Você que me endoidece com este sorriso ingênuo.
Com este teu jeito de me olhar, de me querer.
Com teu cheiro gostoso, de mulher insinuante.
Que me fascina, me inebria.
Como exilar-me de ti?
Se este desejo irresistível de te querer me enlouquece?
Se esta paixão voluptuosa faz esquecer meus ais.
Como exilar-me de ti?
Da suavidade deste teu corpo nu que me excita...
Do prazer de enroscar-me nos teus cabelos e beijar tua boca doce?
Exilar-me de ti?
E não viver esta alegria de te amar?
De alimentar meus sonhos?
Eu me rendo aos teus encantos amor meu.
Quero minha alforria!
É um absurdo de mim.
Exilar-me de ti.

Irismar Andrade Santiago

Direitos Reservados

3 comentários:

  1. Olá meu querido Irismar.
    Que prazer imenso navegar pelo teu blog.
    É um mondo maravilhoso, onde a sensibilidade poética aflora de maneira tão apaixonante.
    Meu querido amigo, a muito, eu tenho uma enorme admiração por você e pelo seu trabalho.
    Que Deus te dê cada dia mais inspiração para escrever coisas tão lindas.
    Parabéns! Poeta.
    Ah! Sou brasileira. Como faço para adquirir um dos seus livros?
    Aqui na cidade de Lyon não encontrei. Pode me enviar pelo Postal?

    Letícia Garcia
    Lyon / França

    ResponderExcluir
  2. Querido amigo Irismar, seu Blog é lindo e seus
    poemas belíssimos. Fiquei feliz por me colocar
    entre seus amigos e muito lhe agradeço.
    Um abraço carinhoso de
    Marli Slides

    ResponderExcluir
  3. Parabéns, Irismar
    por mais esse belo trabalho.

    Abraço

    ResponderExcluir