Maldade Divina

25 de out de 2009

Saudade



“Saudade”

Ah! Saudade...
Melancolia que dói o peito.
Fazendo meus lábios sorrirem o sorriso da amargura.
Ah! Saudade...
Lembranças desvairadas que me desatinam em noites que parecem não ter fim.
Ah! Saudade...
Abstraída de meus recônditos pecados...
Deixando meu coração em desalinho querendo teu aconchego.
Ah! Saudade...
Recordação que paira nos teus beijos.
Uma agonia inquebrantável. Um sussurro ávido, que exerce um desejo sobejo.
Ah! Saudade...
Que me deixa maltrapilho, prisioneiro de um caminho inacessível.
Que fustiga meu corpo penetra minha memória, e como sombra, me acompanha.
Ah! Saudade...
Fantasma que ficou.

Irismar Andrade Santiago
Direitos Reservados