Maldade Divina

2 de dez de 2011

O Vento




O Vento

Aquele vento impetuoso que uivava no tempo, como uma tempestade atrevida, exasperada.
Apagando na minha memória o teu rosto.
Afastando-te dos meus pensamentos...
E, que, num repentino açoite.
Golpeava impetuosamente meu rosto, naufragando teus encantos.
Apagando em mim tuas lembranças...
É o mesmo que agora, na minha Inquietude, quer varrer minhas lágrimas.
E como brisa, sopra ao meu ouvido o teu nome.
É o mesmo vento, agora, soprando brando, levando prá longe meus pensamentos...
Para encontrar-me com meu eu.
E escrever uma pagina nova de nós dois.

Irismar Andrade Santiago
Direitos Reservados