Maldade Divina

13 de out de 2008

Meu Sonho


Meu Sonho
Meu sonho!
É de poeta.
É um sonho de uma fantasia imensa, de uma utopia.
São ilusões que, na quietude da noite ecoam como um grito!
E se perdem no abismo, como um sonâmbulo liberto em busca dos seus devaneios e anseios.
Em busca dos meus versos imperfeitos, incompreendidos.
Para deter minhas lágrimas e não deixar meu coração fugir de mim.
Fugir vulnerável ao tempo por uma estrada sem rumo!
A procura de você.
Meu sonho de poeta!
É um sonho perverso, angustiado, cheio de ilusões, e decepções.
Debaixo dos meus lençóis, sinto calafrios e lágrimas incontidas.
Quando abro os olhos e você, ao meu lado não está.
É só um sonho.
Um sonho de poeta.

Irismar Andrade Santiago
Direitos Reservados

3 comentários:

  1. Querido amigo e poeta Irismar
    Há muito acompanho seus trabalhos.
    Seus poemas são de uma sensibilidade que impressiona.
    Você sabe como usar as palavras, São palavras simples, mas bem colocadas, que impressiona.
    Basta ler (Deus&Eu)
    Quero-te muito bem, meu amigo.

    Susane De-Mattos
    Guimarães Portugal

    ResponderExcluir
  2. Oi amado amigo!
    Obrigada pelo carinho.
    Lindo poema esse como tantos outros que vc escreve, sou sua fã incondicional.
    Espero sua visita no meu humilde recanto!
    Beijinhos e que sua semana seja iluminada!
    Carinho de RO!

    ResponderExcluir
  3. Olá Mazinho, grande Poema! Lembre-se, se tentarem matar os teus sonhos ou sufocar teu coração, não desista e não pare de lutar! Busque forças no Senhor, pois Ele é a nossa força e fortaleza, Ele é socorro bem presente nas horas de angústias.
    Abraço,do mano,
    Gilberto A. Santiago

    ResponderExcluir