Maldade Divina

2 de jan de 2009

Não me olhes assim




Não me olhes assim!
Agora já é tarde...
A noite está fria.
Sou feliz!
Depois de tanta dor!
Não sei?
Não me olhes assim!
Espero o momento acontecer.
Quem sabe amanhã o sol vai brilhar...
Não quero apagar meus sonhos...
Não me olhes assim!
Não há porque chorar na quietude da madrugada fria.
Como se o mundo acabasse agora.
Não me olhes assim!
Sinto meu coração pulsar forte.
Mas, ditando uma linguagem sem nexo...
Desnorteado pelo quinhão do meu sofrimento.
Não me olhes assim!
Não é necessário, conheço teus pensamentos.
Conheço essa atitude do teu desejo em me querer.
Que pena!
Não me olhes assim!
Não sou dono dos meus sentimentos.
Pobre do meu coração inexorável!
Que não se importa com meu sofrer, meu querer mais profundo.
Não me olhes assim!
É meu coração que me deixa impensável, confuso.
Deixando no meu peito um vazio imenso...
Não me olhes assim!
Não me olhes com tanta tristeza.
Vejo em teus olhos, a frustração da decepção.
Não me olhes assim!
Perdoe-me pelo que aconteceu de novo.
É meu coração, que vive inconscientemente descompassado.
Não me olhes assim!

Irismar Andrade Santiago
Direitos Reservados

8 comentários:

  1. Oi, meu querido Irismar.
    Estou aqui novamente me deliciado com seus lindos textos.
    Tenho uma enorme admiração por você, meu querido.
    Adoro visitar seu blog, pois me encanto com suas belas palavras.
    As vezes intrigantes, como (Não me olhes assim!)
    Mas de uma sensibilidade profunda.
    Um abraço bem apertado meu querido.

    Valquíria Campos

    Floripa /SC

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Polonês cozinha é grande. Garanto-vos.
    Também temos belas paisagens.
    Brasil também é lindo.
    Warm cumprimentos do frio polaco.

    ResponderExcluir
  3. Oi meu querido!

    Voltando de viagem vim desejar um 2009 cheinho de paz, saúde e realizações!
    Deus nos permita um mundo mais humano e menos cruel.
    pra isso façamos nossa parte....

    Como sempre seus poemas
    são divinos,,Parabens!
    Carinho de RO!

    ResponderExcluir
  4. Brenda Santaliestra7 de janeiro de 2009 19:44

    Oi poeta querido.
    Como é gostoso visitar teu blog.
    Aqui encontro poemas vindos d´alma
    Suas palavras me emociona, me encanta, eu viajo nelas, chego a voar.
    As vezes choro, mas choro de contentamento, de prazer.
    Ler você, Irismar querido, é emocionante. (Ainda te Amo) é a prova disto.
    Sabe qual meu desejo?
    Ganhar um abraço teu.

    Brenda Santaliestra

    Porto Alegre / RS

    ResponderExcluir
  5. Maravilhoso!! Principalmente analisando sobre outro ponto de vista rsrsss Parabéns pela coragem pelas belas atitudes e o RECOMEÇO que com certeza só trará alegrias. Você merece! Bjos

    ResponderExcluir
  6. Você é incrível!!! seus poemas são inspiradores!!!
    Parabéns é maravilhoso seu talento!!
    Vou seguir seu blog!
    bjos

    ResponderExcluir
  7. Querido Poeta,
    lendo seu poema me ocorreu lembrar de dois poetas consagradíssimos, mundialmente falando.
    Carlos Drumond de Andrade - " Tudo vale à pena se a alma não é pequena" A alma vê como realmente é. Ninguém a engana, nem suborna e contamina.
    A alma vê além do espaço, das palavras ( ditas e não ditas)
    Antoine de Saint-Exypèry - "Só se vê bem com o coração - o essencial é invisível pelos olhos"
    Então querido poeta ...parabéns pelo poema e saiba que quem o olhar saberá o que deverá ver.
    Carinhosamente,
    cida Valadares

    ResponderExcluir